Muito se fala sobre os taninos do vinho. Sobre vinhos mais e menos tânicos. Mas o que são esses taninos? De onde eles vêm? Quais são os vinhos com mais e com menos tanino?
 
Por mais que soe estranho, um Vinho Verde não é um vinho verde. Verdade.
 
Apesar da popularidade cada vez maior dos vinhos espumantes entre os brasileiros, a confusão ainda é grande. E uma das maiores confusões acontece entre os termos espumante e frisante.
 
Já reparou nessa concavidade que existe na base de algumas garrafas? Ela costuma ser chamada de repuxo, ou punt. E você tem ideia de qual o motivo, desse “buraco”? São muitas as teorias, cada uma delas defendida, e também contestada, por parte dos amantes do vinho.
 
Onde quer que seja produzido, o vinho é utilizado, também, como ingrediente culinário.
 
Você já viu esse termo, já conhece esses vinhos? Se já conhece, provavelmente gosta. Se não conhece, precisa conhecer...
 
Não deixe essa pergunta pegar você de surpresa. Entenda os termos, e deixe sua resposta preparada, na ponta da língua.
 
Para produzir vinho branco, uva branca. Para produzir vinho tinto, uva tinta. É isso, mesmo? Nem sempre.
 
O universo do vinho é muito vasto, e torna-se cada vez mais interessante, conforme nos aprofundamos. Esperamos que esse glossário possa ajudá-lo na sua viagem por esse mundo. Mas a principal dica é: desconfie de qualquer um que achar que sabe tudo...
 
Os lindos e misteriosos filetes que escorrem pela taça de vinho são chamados de lágrimas do vinho, ou, também, de pernas, arcos, abóbadas, arcadas... Mas por que será que eles surgem?
 
Ambos são vinhos fortificados de origem portuguesa. Simplificando, os dois caracterizam-se pela riqueza em álcool e pelo teor em açúcar. São o resultado de uma fermentação alcoólica parcial, interrompida pela adição de aguardente vínica de alta qualidade. Mas e o que os diferencia?
 

Vinho congelado

Sobrou um pouco de vinho. Dá para guardar para amanhã? Dá, mas que tal pensar em outra alternativa?
 
Quem é quem, e quem faz o quê? Quem nunca teve essa dúvida, que atire a primeira taça de vinho!!!
 
Você já parou para pensar em quantos profissionais diferentes estão envolvidos em toda a cadeia produtiva do vinho? Dê uma olhada em alguns dos principais. Quem sabe você não descobre a profissão dos seus sonhos?
 
Basicamente, as uvas são colhidas e esmagadas. Ao fermentarem, o açúcar é transformado em álcool, e o vinho está pronto... Se você achou básico demais, continue a ler!
 
Uma das palavras mais faladas no mundo do vinho. Uma das menos entendidas, também... Então, vamos lá!
 
Uma bebida que atravessou milênios, como o vinho, tem certamente muita história para contar, de tradições, e também, de superstições.
 
Vamos falar dos diferentes tamanhos das garrafas de vinho? Afinal, tamanho é documento?
 
O vinho estimula todos os nossos sentidos, e também nossa curiosidade (mais importante que o conhecimento, segundo Einstein). Selecionamos uma dúzia de fatos curiosos a respeito do vinho. Divirta-se!
 
Se você já se pegou pensando sobre uma sujeirinha de final de taça, típica de alguns vinhos e até mesmo de alguns sucos de uva, chegou a hora de entendê-la melhor...
 
O clima tem influência direta nas escolhas que fazemos em uma refeição. Então é claro que o clima acaba impactando, também, nas escolhas que fazemos entre os diferentes tipos de vinho.
 
Um grande mito a desfazer é que vinho branco é produzido somente com uvas brancas! Se você ficou surpreso ao saber que uvas escuras podem virar vinho branco, esse é mais um motivo para continuar lendo...
 
Três nomes parecidos, duas uvas diferentes. Esse é o primeiro conceito para desfazer essa confusão!
 
Nunca houve dois franceses tão diferentes entre si... A rivalidade entre essas duas regiões, ambas produtoras de maravilhosos vinhos, pode ser o estopim para apaixonadas discussões.
 
A palavra cru é uma conjugação do verbo “croître”, que quer dizer “crescer”, em francês.
 
Sabe quantas uvas tem em uma taça de vinho? Uma videira inteira, daria para produzir quanto vinho?
 
A elaboração de espumantes pode ser feita por diferentes processos, mas dois são os mais utilizados: o método Champenoise, e o Charmat.
 
Vinhos de crianza. Um falso cognato de excelentes vinhos envelhecidos, ou seja: nenhuma relação com juventude!
 
Você já viu um desses termos, em rótulos de espumantes? Sabe o que significam?
 
Os vinhos rosés são geralmente elaborados a partir de variedades de uvas tintas, como a Grenache, na França, e a Zinfandel, na Califórnia.
 
A gente sabe que o mundo do vinho é muitas vezes intimidador, e, mais ainda, quando o ambiente é um restaurante. Então, vamos lá.
 
Assim como a panela da música, será que vinha velha é que faz bebida boa? Vamos entender...
 
Tem gente que melhora com o tempo. Tem vinho que também é assim...
 
Vamos pensar um pouco mais na garrafa de vinho.
Em primeiro lugar, vamos analisar suas partes:
 

Vinho de gelo?!

 
Esse não é um vinho feito DE gelo. Mas chama-se “vinho de gelo”, e você vai entender o porquê.
 
As fronteiras do mundo do vinho vão muito além das famosas Cabernet Sauvignon, Merlot, Pinot Noir, Chardonnay... Você já ouviu falar em uvas autóctones?
 
Você talvez já tenha ouvido falar na expressão “vinhos de clima frio”, mas você sabe que vinhos são esses? Aventure-se conosco por mais uma descoberta no mundo dos vinhos!
 
Você já deve ter visto, várias vezes, a expressão “solos vulcânicos”, referindo-se a determinado vinho ou vinhedo. Afinal, por que alguém escolhe plantar (e viver) perto de um vulcão?
 
Não foi Baco nem Dionísio quem os enviou, mas talvez eles tivessem concordado...
 
Segundo a astrologia, o que acontece nos céus influencia diretamente o comportamento humano. Será que o zodíaco também pode ser uma ferramenta para ajudar na escolha do vinho? Entre nessa brincadeira. 
 
Você descobre uma receita sensacional, que leva vinho, entre os ingredientes. Na prateleira do supermercado, vem aquela dúvida: qual vinho levar?
 
O consumo moderado de vinho faz bem à saúde. Muitas pesquisas endossam isso. Mas uma pesquisa, muito curiosa, diz que o vinho nos deixa, além de mais saudáveis, também mais atraentes! Será?
 
Cabernet Sauvignon, Merlot, Pinot Noir... todas elas variedades de uvas tintas, da espécie Vitis Vinifera. Mas você já se deu conta que, apesar da casca ser escura, a polpa delas é clara? E será que é sempre assim?
 
O sobreiro, que é o carvalho da espécie Quercus suber, é considerado o petróleo de Portugal, tamanha sua importância na economia do país.
 
Inocentes ou não, eis algumas mentirinhas relacionadas ao vinho:
 
Existe uma ciência por trás da harmonização. Mas ninguém precisa ficar refém dela!
 
Já se perguntou o motivo da rolha dos vinhos espumantes ser diferente das outras? Que tal falar desse assunto?
 
A palavra vem de claro. Mas a que se refere, no mundo dos vinhos? A muitas coisas, diferentes entre si... Mas que a gente vai explicar!
 
Talvez você já tenha pensado sobre isso... Como podem existir vinhos de menos de 20 reais, e vinhos que custam “alguns mil” reais? O que diferencia, realmente, um vinho econômico, de um médio, um premium, ou até um inatingível?
 
Vinho sempre foi, e sempre será, um bom presente.
Para um aniversariante enófilo. Para um namorado romântico. Ou então, para um anfitrião. Agradecer o convite e a hospitalidade de alguém, levando uma garrafa de vinho, é sempre uma gentileza. Mas como escolher qual vinho levar?
 
Não, não é a mesma coisa que vinho orgânico. Então, afinal, o que é um vinho natural?
 
O rótulo de um espumante pode nos contar como o produtor alcançou a tão almejada efervescência, no vinho! Você sabia que há diferentes maneiras?
 
Uma das muitas particularidades de Portugal é a forma diferente de plantar alguns vinhedos.
 
A descrição dos vinhos muitas vezes traz a informação “colheita manual” como uma espécie de qualificador da bebida. Será mesmo? Vamos entender um pouco a colheita manual, e também a mecanizada.
 
Um vinho espetacular nunca é fruto do acaso. É sempre o resultado de talento e de trabalho.
 
Já reparou na flor da videira? Hoje o assunto é ela...
 
Em inglês, “estate” quer dizer “propriedade”. Mas, por que esse termo aparece nos rótulos de alguns vinhos? E qual a regra para isso?
 
O vinho tinto espumante já sofreu bastante. Foi mal produzido e mal consumido. Mas sua sorte mudou!
 
Fulana Noir. Fulana Blanc. Fulana Gris. Quais as semelhanças, e quais as diferenças entre elas, você sabe?
 
Jerez, Porto, Madeira e Marsala são excelentes exemplos de vinhos fortificados. Mas, afinal, o que faz um vinho ser fortificado? Como ele é produzido?
 
Qual o povo que mais bebe vinho, no planeta?
O país com o maior consumo per capita, no mundo, é o Vaticano. Mas essa informação parece até brincadeira, e chega a ser irrelevante. Isso porque o Vaticano é a menor entidade territorial autônoma, do mundo. São apenas 800 habitantes. Mesmo que consumam (segundo o Wine Institute) impressionantes 56 litros de vinho per capita, por ano, isso totaliza apenas 45 mil litros de vinho, no país. Vamos lembrar: são apenas 800 residentes.
 
Apreciar ou não determinado vinho depende, antes de mais nada, de gosto pessoal. Apesar disso, acompanhar as pontuações internacionais dos vinhos pode ser um bom indicativo, principalmente se a gente entender o diferente significado de cada uma.
 
Você sabe a diferença entre Gran Reserva, Reserva e Reservado, nos rótulos de vinho?
 
Não se tratam somente das características organolépticas, ou seja, sensoriais. Para que os vinhos sejam rotulados como suave, demi-sec ou seco, existem critérios estabelecidos por lei. Então, vamos conhecê-los!
 
Entre as informações presentes em um rótulo de Champagne, você vai encontrar um código. Secreto?! Não, nem um pouco...
 
Essa é uma alternativa mais econômica, não só pelo custo da matéria-prima, em si, mas também pelo custo da logística. Além disso, é uma embalagem com menor impacto sobre o meio ambiente. Vamos pensar sobre o assunto?
 
Não é de hoje que associamos o vinho ao romantismo, e ao amor. Basta olhar algumas frases célebres...
 
Ampelografia. O que isso tem a ver com o vinho?
Comecemos pelo nome, que deriva das palavras gregas Ampelos (videira) e Graphe (descrição).
 
Em 1990, 11% dos vinhos consumidos na França eram rosé. Em 2013, esse número quase triplicou, subindo para 30%! Hoje, o típico francês consome muito mais vinho rosé, do que branco! Ao que parece, existe uma tendência de um futuro mais rosado, para os amantes de vinho...
 
Nesse momento, o leitor pensa que “esse pessoal do Tintos&Tantos deve estar maluco”... Acompanhe, e divirta-se!
 

Hã? Oi? Como?

Conforme a gente vai conhecendo um pouquinho mais sobre o vinho a cada dia que passa, a gente tem contato com alguns termos bem específicos e às vezes estranhos. Em vez de assustar-se com eles, entenda-os!
 
O mundo do vinho é tão vasto quanto as dúvidas sobre ele... Selecionamos algumas perguntas frequentes, com respostas rápidas. Divirta-se!
 

Vin de Pays

A pronúncia, estranha para o português, é “vãn de peií”. Mas o que significa essa expressão?
 
Rosé? Por quê? Ou então, e melhor, por que não?
 
Será que isso realmente importa, ou é mais uma das lendas que envolvem o vinho? Ou, ainda pior, será apenas frescura?
 
Vintage é uma palavra que está na moda... Mas você sabe o que significa?
 
Chega de mentiras! Até porque, “in vino veritas”, ou seja, no vinho está a verdade! E também, o bom humor...!